Paixão do Dia: Verdura, Craver, Cestari, Bvlgari, Cartier e Kabirski

 

pdd-banner

 

Que saudade do meu blog e especialmente dessa tag que ficou abandonada por tanto tempo!  :~~~

Começando o post ”Paixão do Dia” de hoje com esse bracelete irresistível de Fulco di Verdura.

Achei o design muito bonito, ele data de aproximadamente 1935, foi uma das primeiras jóias criadas por ele (feito com gemas simuladas, prata e esmalte), e pertencia à coleção particular de Coco Chanel. Foi leiloado pela Christie’s e adquirido pela joalheria Verdura para o próprio acervo.

Aqui nesse link tem um texto (em inglês) explicando a diferença entre gemas sintéticas e simuladas pra quem quiser saber sobre o assunto -> https://www.gemsociety.org/article/just-ask-jeff-what-is-the-difference-between-man-made-created-and-synthetic-materials/

Lindo bracelete, não? (As fotos são respectivamente do instagram da marca Verdura e site Christie’s).

 

 

A segunda paixão de hoje também é Verdura. Eu estava lendo o catálogo novo disponível na página da marca, com a nova coleção. Tem uma história hilária contada no catálogo: escrita pelo Duque de Verdura numa carta para Diana Vreeland e publicada na revista Harper’s Bazaar de Maio de 1941.

Vou resumir: O joalheiro Verdura foi se encontrar com o pintor surrealista Salvador Dalí para uma coleção em parceria. Quando ele chegou na casa onde ficaria hospedado, era uma casa sombria caindo aos pedaços e Dalí estava segurando uma vela, quando alguém sugeriu que iriam jantar no cemitério, e pegar ossos nas tumbas para fazer as jóias. Então o Duque de Verdura assustado pensou:  ”Eu tenho poucos princípios, Deus sabe, mas um que tenho e mantenho é não roubar ossos de mortos”.  rsrsrs

Então depois de um tempo as risadas começaram e ele percebeu que era tudo uma ”pegadinha”. Ele mordeu a isca da brincadeira de Dalí, que inclusive decorou aquela casa abandonada para enganá-lo. A casa onde ele ficaria realmente era outra, confortável e deliciosa. Ele termina a carta dizendo que a visita foi um sucesso e que trabalharam em algumas jóias.

O resto todo mundo já sabe, as jóias são famosas e ficaram o máximo (caso não conheça, dá um Google nelas e confere!!!). Então que a nova coleção da marca foi inspirada nessas jóias e eu amei os braceletes Medusa. Gente, fiquei apaixonada mesmo!!! Jóias com serpente são corriqueiras mas como eu digo, dificilmente serpentes são genéricas…pelo contrário! São sempre especiais e originais.

 

 

Margret Craver (11 de Outubro de 1907 – 22 de Novembro 2010) foi uma artista e educadora americana, notável por suas jóias modernistas. Consta na Wikipedia o seguinte, ela trabalhou num hospital militar durante a Segunda Guerra Mundial, e ajudava na reabilitação de veteranos feridos através do trabalho manual com metal.

Vi algumas de suas jóias nos catálogos da Skinner e fiquei in love! Especialmente pelo colar da foto (que data dos anos 80) e é em ouro 18 quilates com um amuleto de jade ”provavelmente Maia” (assim diz o catálogo). Sem palavras, super incrível!

Quem quiser saber mais sobre o seu interessante trabalho, tem um artigo no blog Jewelry Loupe ->

http://thejewelryloupe.com/women-who-paved-the-way-margret-craver/

♥♥♥

 

Continuando… com o trabalho de Mariana Cestari e o début de sua marca homônima. As peças têm banho de ouro e materiais alternativos, como couro de cobra e arraia…franjas de seda e plumas. A sua inspiração vêm de peças vintage, geralmente.

Confesso que amei os acessórios dela! =)  Escolhi o colar Cisne para ilustrar o post, com plumas negras.

Pra ver mais -> http://www.marianacestari.com/

 

 

 

Como eu já disse muitas vezes por aqui, ”serpentes” costumam ser infalíveis…dificilmente alguém não vai gostar!  Esse colar da nova coleção Serpenti de Alta Joalheria da Bvlgari é de doer…no bom sentido.

É o colar Seduttori em platina, esmeraldas, e diamantes. Eu imagino que seja platina porque está escrito no sketch da jóia, pois não consegui abrir o site ainda e ver os créditos. Na pior das hipóteses é ouro branco. rsrs

Não bastasse ser uma bela cabeça de serpente, ainda tem esmeraldas.  Ai ai ai, Bvlgari… assim você me mata! rsrsrs

 

 

Não posso deixar de comentar…há um tempo atrás eu estava lendo meu próprio blog (faço isso sim hehe) e percebi que a cada mil palavras que escrevo, 999 palavras são ”Cartier”. rsrsrsrs

Juro que até então, eu mesma não havia reparado nesse amor exacerbado. Cartier predomina em número de posts nesse blog…

Eu poderia dizer que são as gemas impressionantes que me fascinam…mas não seria verdade. Porque elas não são mais incríveis do que o próprio design das jóias. Eu A-DO-RO o padrão Cartier de design, e como eles revisitam seus próprios clássicos sempre de maneira inovadora e original, como Fauna (panteras, dragões, crocodilos), Flora (flores em geral), e aquelas linhas tão comportadas que só a Cartier proporciona, o ”Art Déco impecável”! hihihi

Agora ficou explícita a minha admiração, né? Ilustro o post de hoje com esse belíssimo bracelete de esmeralda, diamantes, ônix e ouro branco da Coleção ”Cartier Magicien” e sub-coleção intitulada ”Magic in every Design”.

 

 

 

Por último, um designer que se chama German mas não é alemão. rsrsrs

German Kabirski é russo e faz uns maxi anéis lindos..com texturas realmente diferenciadas.

Vale conferir -> http://www.germankabirski.com/

Anéis poderosos mesmo!

 

 

 

Espero que gostem do post!! Fiz com carinho!!! ♥

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s